Arquivo da tag: Paulo Borges

Regina vai ao shopping

Ontem não tivemos texto porque o dia foi corrido demais da conta minha gente! Mas, agora que estou tranquila, vim contar que ontem estive em um evento do Boulevard Shopping, aqui de Belo Horizonte. O pessoal convidou Regina Guerreiro e Paulo Borges, o cara do São Paulo Fashion Week, para uma conversa descontraída sobre moda.

Não conhecia muito sobre Regina Guerreiro e, depois da palestra, decidi que, quando crescer, serei como ela. Inteligente, objetiva, sincera e analítica, a famosa editora da Vogue Brasil expos um pouco de sua forma de trabalhar. Uma das frases mais interessantes que soltou foi “revista e produto”.

(Fonte: Site Natália Dornellas)

(Fonte: Site Natália Dornellas)

Concordo totalmente com essa afirmação. Assim como acredito que moda é negócio, sem deixar de ser um fenômeno social. As revistas que eu tanto amo ler são produtos que me transmitem um recorte da realidade fashion do mundo; tudo produzido de forma que me desperte desejo.

Mesmo sendo o que são, revistas não podem tão rasas. Honestamente, vocês não se cansam de ler apenas sobre a cor da estação ou o sapato do momento? Será que não merecemos mais conteúdo? Não é bom passar uma mensagem através das fotos que produzimos? Durante a conversa, Regina disse uma vez ter lido a frase: “o mundo precisa mais de assunto que de pão”. Afirmação pertinente.

(Fonte: meu tablet.)

(Fonte: meu tablet.)

Outra parte marcante foi quando a jornalista falou que devemos valorizar mais a moda brasileira, tanto no jornalismo quanto no guarda-roupa. Penso que é verdade. Agora que estou mergulhando nesse universo, percebi que temos tanta coisa bacana. Bobagem valorizar apenas o que é de fora, principalmente porque muitas coisas que aparecem nas publicações não cabem no orçamento.

Por fim, Regina Guerreiro falou sobre a efemeridade das coisas. As modas passam, mas a qualidade e o estilo precisam ficar. De que adianta comprar feito louca se, no fundo, usa as coisas só porque todos estão usando, sem ligar para seu estilo e personalidade? De que adianta comprar cinco blusas ruins se, com a mesma quantidade de dinheiro, você pode comprar uma peça que dure anos, sempre te deixando linda e elegante?

Regina, Paulo Borges e Paulo Navarro. (Fonte: meu tablet. Eu como fotógrafa sou uma ótima... alguma coisa kkk)

Regina, Paulo Borges e Paulo Navarro. (Fonte: meu tablet. Eu como fotógrafa sou uma ótima… alguma coisa kkk)

Bom, esta pequena que vos escreve não sabe o por quê de as pessoas agirem assim. Talvez porque comprando temos a reconfortante sensação de pertencimento que nos foi tirada pela rapidez das mudanças pessoais e sociais que assistimos. Eis um dilema interessante para uma mesa de bar.

Contudo, estou descobrindo que o assunto moda é fascinantemente complexo, mas o mercado de jornalismo de moda é complicado e apertado. Um lugar onde se trabalha muito, porém com paixão. Onde os talentos, e os egos, podem ser gigantes. Então que Deus me ajude porque é para lá que eu vou!

Deixe um comentário

Arquivado em Comportamento, Moda

São Paulo Fashion Week, uma história

Minha gente, cá estou eu falando de São Paulo Fashion Week, como todos na blogosfera. Mas, né, tem como não admirar um evento gigante como esse? Por algumas vezes eu quase fui trabalhar lá. Ainda não deu certo, mas já já vou colocar meus lindos pezinhos jornalísticos no prédio da Bienal, onde tudo acontece. Enquanto não chego lá, vamos comentando.

Foto da amiga Analice Campos, do blog Wonderlandee.

Foto da amiga Analice Campos, do blog Wonderlandee.

Pensei em fazer as coisas um pouquinho diferentes por aqui. Vocês sabem que em época de SPFW todas as blogueiras phynas e rycas postam fotos dos principais desfiles e comentam as tendências que serão hit do momento. Falando nisso, gosto muito das coisas que a Helô Gomes, do Sanduíche de Algodão, posta. Ok, bacana, legal. Mas, para ser um tantinho diferente, e porque não estou lá, vou contar hoje a história por trás do mito.

Quando nasceu, o São Paulo Fashion Week se chamava Phytoervas Fashion e nem de longe se parecia com o formato que vemos hoje. Depois, foi crescendo, ganhou prestígio e, em 2001, mudou o nome para São Paulo Fashion Week. Desde os tempos de Phytoervas Fashion até hoje tudo é coordenado por Paulo Borges. Já vi uma palestra dele, realmente um cara inteligente e visionário.

Os Irmãos Campana fizeram a cenografia esse ano. Materias reciclaveis foram destaque.

Os Irmãos Campana fizeram a cenografia esse ano. Materias recicláveis foram destaque.

Falando como humilde observadora do mundinho fashion, penso que o principal mérito do SPFW foi ter mostrando ao mundo que o Brasil é sim capaz de produzir moda. Somos criativos, grandes e competentes. Só faltava um empurrãozinho. Além disso, essa, que é, sem dúvida, a maior semana de moda da América Latina, também deixou tudo organizado por aqui, criando ao seu redor uma verdadeira indústria que faz girar milhões de pilas em diferentes moedas.

Então, era isso que eu queria conversar hoje. Ainda essa semana volto para comentar algumas das coisas que achei mais legais durante os dias de evento. Bjobjo e inté!

Deixe um comentário

Arquivado em Evento