Arquivo da tag: Negócios

Falando “não” para a China

Na última semana ocorreu em São Paulo um protesto de várias entidades que representam a indústria da moda brasileira. Intitulado como “Grito de Alerta”, a atitude teve o objetivo de dizer a todos que a moda precisa de ajuda para se manter em pé no Brasil.

Se você não ficou sabendo, o protesto aconteceu em frente á feira que reunia empresários chineses na capital paulista, centro empresarial nacional, que pretendem fazer negócios aqui na terrinha. Relações que incluem comércio de roupas acabadas, calçados e tecidos primários.

Segundo dados do IBGE, desde janeiro o setor já demitiu 55 mil trabalhadores. Além disso, empresas conceituadas no setor têxtil estão fechando, seguidas de perto por confecções. Para você ter uma ideia, vi que um macacão de bebê brasileiro custa 75 reais, enquanto um chinês pode ser adquirido por 55 reais.

Antigamente existia o estigma de que essas roupas eram de péssima qualidade. Mas hoje a informação não procede. Você compra feliz e contente uma roupa chinesa de bom corte e tecido satisfatório. Não digo para você parar de comprar roupas “made in china” porque nem todo mundo pode pagar mais caro pelo luxo de um vestido novo.

Mas acho que cabe ao governo dar mais atenção para o setor. Não adianta só zerar os impostos com a folha de pagamento dos funcionários dessas fábricas, é preciso mais. A China é mesmo um dragão nos negócios, portanto não adianta querer ser bonzinho. Precisamos proteger nossa indústria.

Se nada concreto e relevante for feito, não adianta a iniciativa de preparar eventos de moda, organizar desfiles, formar designers e, seja lá o que for. Tudo vai escoar pelo ralo. Parabéns aos organizadores do protesto por terem se posicionado dentro desse cenário.

Vestidos de chinesas protestando contra a China.

Vestidos de chinesas protestando contra a China.

Deixe um comentário

Arquivado em Negócios

O lugar onde o glamour nasce

É mais ou menos assim.

É mais ou menos assim.

Esta semana estou no olho do furacão: cobrindo o Minas Trend para o Fashionistando. É cansativo, mas super divertido. Andando entre os stands fiquei pensando que todo mundo, incluindo os blogs de moda, mundo ao qual este bloguito também pertence, pensa apenas no glamour. A celebridade, a tendência, a it qualquer coisa. Mas, acredite leitor, toda essa purpurina expira sem os negócios.

Pensando nisso, resolvi contar um pouco de como esse salão funciona dentro do Minas Trend. Segundo dados dos organizadores, são cerca de 200 expositores que trazem roupas, sapatos e bijuterias de todos os lugares do Brasil para serem vendidas à atacadistas que, também, vem de todos os lugares desse país gigante.

As relações de negócios são assim: os atacadistas, que compram as grifes para revender em suas lojas, vão aos stands das marcas que melhor atendem ao seu público e fazem os pedidos, que só serão produzidos após o término da semana de moda mineira. A grande maioria das marcas só trabalha assim, com pedidos. Não produzem, assim, por produzir. Só por demanda.

A especialidade aqui de Minas Gerais é a moda festa, com muito bordado, tecidos finos, coisas para fazer quem pode, porque não é barato, entrar dentro do vestido e sair por aí divando nas festas mais badaladas. Mas isso tudo é negócio, então existe pesquisa de produtos, de tendências, de fornecedores. Não pense que moda é viagem, existe uma pesquisa firme por trás.

Então, é isso. O post de hoje não tem o brilho, mas tem a informação. Semana que vem pretendo trazer mais coisas para vocês, mas por hora está impossível. Esses eventos levam tudo que temos, deixam só o pó e o cabelo. Ah, o tema da 13º edição do Minas Trend Outono/Inverno 2014 é Parceria e Mercado. Justo, já que não se cresce sozinho e a venda é uma atividade compartilhada.

Deixe um comentário

Arquivado em Evento, Negócios

Olá Minas Trend Preview!

Vim contar que esse blog, costumeiramente um espaço um tantinho parado, vai ficar mais parado ainda na próxima semana. Sabem por quê? Porque vou cobrir a 12º edição do Minas Trend Preview pelo Fashionistando, que começa amanhã. Além disso tem o meu trabalho; sou jornalista em uma siderúrgica, faço comunicação interna. Aí, tempo vira artigo de luxo.

Ano passado também dei minhas voltinhas jornalística pelos salões do MPT. Fui produzir matérias também para o Fashionistando. A cobertura de um evento de repercussão nacional foi uma experiência nova para mim, mas super divertida. Acho que esse ano vou me aprimorar mais… Mas, chega de devanear, bora falar sobre “esse tal de” Minas Trend Preview.

Minas Trend Preview 2013-1

No segmento Moda, essa é a terceiro maior evento do Brasil. Aqui o foco são as tendências para a indústria, produtora e compradora. Durante os dias 9 e 12 de abril o Expominas abrigará uma grande feira de negócios com tendências para Primavera/Verão 2013 e 2014. Os stands são divididos entre calçados, roupas, jóias e bijuterias.

O Minas Trend também oferece aos participantes lounges interessantes como o d´O Boticário, patrocinador oficial. Ano passado era só marcar um horário e ir até lá para que ótimas maquiadores te deixassem linda. Eu fiz isso e, acreditem, deu muito certo. kkkkkkkk Nessa edição teremos a ilustre presença de Fernando Torquatto. Coisa fina, né?

Agora alguns desfiles voltarão a ser realizados no Expominas. Honestamente, acho isso muito mais prático e confortável. Ficar atravessando a cidade em pleno horário de pico do trânsito não é um programa muito agradável. Além dessa, digamos, volta às origens, esse ano acontecerá o primeiro Prêmio Biju Moda Brasil, onde as melhores bijuterias em diferentes categorias serão premiadas; uma forma interessante de estimular o mercado interno desse segmento.

Entre uma matéria e outra juro tentar dá um pulinho aqui para conversar com vocês. Mas, para que  não sintam minha falta, deixo o endereço do Fashionistando. Vai lá matar saudades!

Bjo

Deixe um comentário

Arquivado em Moda, Negócios

As semanas de moda que você não conhece

Quando a gente começa a se embrenhar pelo mundinho fashion, acha que moda, no Brasil, só no sudeste. Para ser mais exata em São Paulo. Mas a banda não toca só essa música, pessoas.

A indústria da moda produz em todos os lugares, para todos os tipos de gostos, bolsos e pessoas.  Afinal, quando a coisa é democrática, a tendência é que renda mais.

Percebendo isso vou falar sobre o mundinho fashion nordestino, onde estive há pouco. Começarei pelo Piauí, considerado o 9º polo de moda do Brasil segundo dados do Sindicato das Indústrias do Vestuário e Calçados do estado.

Como o lugar é extremamente quente, as roupas são voltadas para o verão, que dura o ano todo. Separei essa foto da Semana de Moda realizada em Teresina, capital do estado, em 2010.

Peças da marca Vista Modas (Fonte: Cidade Verde)

Peças da marca Vista Modas (Fonte: Cidade Verde)

Outro evento fashion interessante que acontece por lá, precisamente em Fortaleza, Ceará, é o Dragão Fashion. Adoro esse nome. Bem inusitado para uma semana de moda. Lá temos a presença marcante de novidades e um espaço para reflexões “modísticos”.

Chique e artesanal. (Fonte: reprodução.)

Chique e artesanal. (Fonte: reprodução.)

Por fim, e não menos importante, o nordeste também é produtor do Bahia Moda Design, que, como o nome diz, se localiza em Salvador, Bahia. A iniciativa não mostra apenas desfiles, mas exposições, palestras e eventos voltados para os produtores de moda; profissionais, indústrias e criadores.

Criação de Vitorina Campos. (Fonte: Bahia Fashion Design

Criação de Vitorina Campos. (Fonte: Bahia Fashion Design.)

Diferente das semanas de moda realizadas em São Paulo e Rio de Janeiro, que misturam glamuor com negócios, e se expandem para o mundo, esses eventos têm caráter regional e focam em negócios nacionais.

Depois de tanto escrever, eis minha conclusão: a moda brasileira não se resume ao que se usa na praia. É artesanal e tecnológica, está em muitos lugares. Acho importante saber o que se passa em outras bandas para vermos que existe vida além do São Paulo Fashion Week.

Deixe um comentário

Arquivado em Evento, Negócios

Chanel Nº5

Em uma época onde os frascos de perfume eram cheios de badulaques e frufrus, Coco Chanel veio e revolucionou tudo. Em 1921, a estilista apresentou ao mundo a fragrância de nome Chanel Nº 5, contida dentro de um vidrinho simples, até um pouco sem graça. Ainda sobre Chanel, eis aí um nome que estará presente neste blog. Ela é cheia das histórias, que ficarão para outro dia.

Coco Chanel (Fonte: reprodução.)

Coco Chanel (Fonte: reprodução.)

Apresento o Chanel Nº5 (Fonte: reprodução.)

Apresento o Chanel Nº5 (Fonte: reprodução.)

Segundo informações que garimpei junto ao São Google, a ideia do perfume veio quando Chanel resolveu que era preciso inventar um “perfume de mulher, com cheiro de mulher”. Do ponto de vista científico, a novidade foi a inclusão do aldeído, elemento que promete garantir maior durabilidade da fragrância na pele.  Trouxe um vídeo que conta melhor a história toda, veja só:

Ao longo da história da beleza, muitas personalidades disseram ser fã do Chanel Nº5. Talvez a declaração mais escandalosa tenha vindo de Marilyn Monroe. A atriz platinada declarou que usava, para dormir, ”apenas algumas gotas de Chanel Nº5” e mais nada. O escândalo fez com que os perfumes, que já vendiam bastante, continuassem vendendo horrores. E fazem isso até hoje.

A loira poderosa Marilyn Monroe (Fonte: reprodução.)

A loira poderosa Marilyn Monroe (Fonte: reprodução.)

Meu atual orçamento de jornalista recém-formada em busca de novas oportunidades de trabalho não permite que eu compre um perfume como esse. Prestígio, marca e história custam um bocado, gente. Mas, se alguém aí já tiver experimentado o Chanel Nº5, favor ir aos comentários contar se o cheirinho francês é realmente o topo da perfumaria mundial. Sim, porque história eu já sei que o perfume fez.

Deixe um comentário

Arquivado em Moda, Negócios

Futuristas

Já pensou como serão suas roupas no futuro? A Lacoste pensou. Para comemorar o aniversário de 80 anos da marca, foi feito um vídeo promocional bem divertido que mostra as camisas Polo L1212, criadas por René Lacoste e ícones da marca, mudando de cor com apenas um toque no jacaré bordado, símbolo da empresa. E, se a intenção é ajustar as mangas, basta que o usuário faça um movimento de braço e, pronto, o comprimento aumenta ou encurta, ao gosto do freguês. Confira o vídeo.

Mas o hábito de imaginar o futuro das roupas não começou agora. Em 1964, o estilista francês André Courrèges abalou o mundinho fashion com suas criações inovadoras. Com a coleção Space Age, onde predominavam os vestidos brancos e curtos, ele propôs para as mulheres da época um visual que, em minha opinião, é bem modernista. Nas criações de Courréges os materiais também eram inusitados; PVC e tecidos sintéticos. A intenção era que as mulheres se vestissem assim nos anos 2000.

Criação de André Courrèges. Inovador, né? (Fonte: reprodução.)

Criação de André Courrèges. Inovador, né? (Fonte: reprodução.)

Muita criatividade.

Deixe um comentário

Arquivado em Moda, Negócios

Cores

Quando um estilista começa a pensar sua próxima coleção, uma das primeiras providências tomadas é a escolha da cartela de cores. Mas, nada é aleatório, vindo apenas “da mente” do criador. Muitos são os fatores relevantes.

Muitas cores!

Fonte: Reprodução.

Existem profissionais que trabalham exclusivamente cuidando da pesquisa de novas cores, que são definidas pela oferta de tecidos da estação, custo benefício das matérias primas, além de, claro, da beleza dos tons. Na moda, tudo é milimetricamente pensando, para que tanto os clientes quando os produtores fiquem felizes.

Outra coisa que acontece com as cores é elas acompanharem a vibe da estação. Por exemplo, se estamos no verão, são claras e alegres. Mas, se no inverno, mudamos para tons fechados e sóbrios.

No Minas Trend Preview – leia a história da minha ida lá aqui – reparei que isso está mudando. Para o outono/inverno 2013, as cores alegres estarão em alta. Azul safira, vermelhos, branco e metálicos, como prata, dourado e cobre. Não será uma estação recheada de cores escuras, para a felicidade geral de muitas de nós!

Tendências para outono e inverno 2013

Fonte: Reprodução.

Para nossa felicidade completa, o preto está presente em todas as marcas que vi. Preto é tudo de bom e deixa qualquer mulher elegante. Audrey Hepburm, em seu Givenchy, usado no filme Bonequinha de Luxo, concorda.

Audrey Hepburn no clássico filme "Bonequinha de Luxo"

Fonte: Reprodução.

E vocês, de quais cores gostam?

😎

Deixe um comentário

Arquivado em Negócios