Arquivo da tag: história

Inspiração: chapéu

No tempo de nossas avós, talvez não no tempo de nossas avós, mas com certeza no tempo das avós de nossas avós, era deselegante sair de casa sem um bonito chapéu. Nessa época, as moças da sociedade usavam modelos enormes, já as mocinhas com menos posses costumavam usar tipos menores. Chapéu era demonstrador de classe e poder.

Originalmente a peça surgiu para proteger as cabeças dos homens primitivos. São feitos dos mais diversos materiais, apesar de hoje serem usados em poucas ocasiões. Parece que saíram “de moda”. Porém, eu gosto. Acho o chapéu uma peça elegante e estilosa. Tenho até alguns modelos, incluindo o chapéu com cara de francês fabricado na China. Coisas da globalização fashion.

Hoje trouxe alguns modelos para inspirar vocês, vejam:

Este chapeuzinho de palha é a cereja do bolo da produção. Descolado e lindo!  (Fonte: reprodução.)

Este chapeuzinho de palha com inspiração Panamá é a cereja do bolo da produção. Descolado e lindo! (Fonte: reprodução.)

 

Ah, você é uma clássica moderna? Tudo bem, este modelo é ideal para sue estilo. (Fonte: reprodução.)

Ah, você é uma clássica moderna? Tudo bem, este modelo é ideal para sue estilo. (Fonte: reprodução.)

Se você é moderna e gosta de causar, este vai ficar legal. (Fonte: reprodução.)

Se você é moderna e gosta de causar, este vai ficar legal. (Fonte: reprodução.)

E aí, se animou? Então tente sair usando um chapéu e depois conte como foi a experiência!

PS: caso alguma das imagens for de sua autoria, escreva para naoesobremoda@gmail.com que eu vou adorar te dar o crédito devido. 😎

 

2 Comentários

Arquivado em Inspiração

Chanel Nº5

Em uma época onde os frascos de perfume eram cheios de badulaques e frufrus, Coco Chanel veio e revolucionou tudo. Em 1921, a estilista apresentou ao mundo a fragrância de nome Chanel Nº 5, contida dentro de um vidrinho simples, até um pouco sem graça. Ainda sobre Chanel, eis aí um nome que estará presente neste blog. Ela é cheia das histórias, que ficarão para outro dia.

Coco Chanel (Fonte: reprodução.)

Coco Chanel (Fonte: reprodução.)

Apresento o Chanel Nº5 (Fonte: reprodução.)

Apresento o Chanel Nº5 (Fonte: reprodução.)

Segundo informações que garimpei junto ao São Google, a ideia do perfume veio quando Chanel resolveu que era preciso inventar um “perfume de mulher, com cheiro de mulher”. Do ponto de vista científico, a novidade foi a inclusão do aldeído, elemento que promete garantir maior durabilidade da fragrância na pele.  Trouxe um vídeo que conta melhor a história toda, veja só:

Ao longo da história da beleza, muitas personalidades disseram ser fã do Chanel Nº5. Talvez a declaração mais escandalosa tenha vindo de Marilyn Monroe. A atriz platinada declarou que usava, para dormir, ”apenas algumas gotas de Chanel Nº5” e mais nada. O escândalo fez com que os perfumes, que já vendiam bastante, continuassem vendendo horrores. E fazem isso até hoje.

A loira poderosa Marilyn Monroe (Fonte: reprodução.)

A loira poderosa Marilyn Monroe (Fonte: reprodução.)

Meu atual orçamento de jornalista recém-formada em busca de novas oportunidades de trabalho não permite que eu compre um perfume como esse. Prestígio, marca e história custam um bocado, gente. Mas, se alguém aí já tiver experimentado o Chanel Nº5, favor ir aos comentários contar se o cheirinho francês é realmente o topo da perfumaria mundial. Sim, porque história eu já sei que o perfume fez.

Deixe um comentário

Arquivado em Moda, Negócios

o quê é moda?

Esta pergunta parece simples e, até mesmo, um pouquinho estúpida quando pensamos nela pela primeira vez; “moda e o jeito de se vestir, ué”. As possibilidades de resposta acabam se tornando muitas, já que a pergunta parece ser tão obvia. Então eu pergunto novamente: para você, o quê é moda?

Para mim, moda é um conjunto enorme de comportamentos, regras e vontades mercadológicas e sociais, que tem como última manifestação a forma como as pessoas se vestem. Muito séria minha explicação?

O quê é moda?

Então, apertemos a tecla SAP isso ainda existe?: para que uma coisa, em nosso caso, uma roupa, esteja “na moda” é necessário que ela se encaixe na vida das pessoas que estão dentro da sociedade para onde se destina. Por exemplo, é quase impossível vermos alguém vestindo um casaco de neve no calor do Rio de Janeiro. Já roupas leves e frescas, vemos aos montes.

Também é comum vermos pessoas usando camisetas com mensagens nas quais acreditam, ou mesmo peças com cores ou tecidos que representam uma ideia. Caso dos ecologicamente corretos, que optam por tecidos de bambu ou dos roqueiros, que adotam o preto como cor básica. Ao longo da história, movimentos usaram as roupas para passar suas mensagens. Caso interessante são os hippies dos anos 1960 e 1970, que se vestiam como um arco-íris para protestar contra as guerras travadas pela sociedade á época.

Os hippies!

Mas, todas essas condições que eu expus acontecem antes de a roupa ser escolhida. Antes de você comprar uma blusa, por exemplo, a sociedade, o mercado, as ideias e sua vontade já foram repassadas para, só então, você passar no caixa e pagar a dita cuja blusa. E quando essas condições acontecem, de forma semelhante, na cabeça de muitas pessoas, fazendo com que estas mesmas pessoas comprem, aí sim podemos dizer que uma roupa está, ou não, na moda.

E aí, para vocês, o quê é moda?

Respostas nos comentários!

🙂

Deixe um comentário

Arquivado em Moda, Uncategorized