Arquivo do mês: maio 2013

Som de sexta: Maria Rita

Pessoal, hoje eu não vou falar muito.

Vim só deixar essa musiquinha da Maria Rita aqui para vocês ouvirem, ela se chama Pagu.

É boa né?

Maria Rita

Ótimo fim de semana procês!

Deixe um comentário

Arquivado em Som de sexta

Mulher macho sim senhor!

Existem decisões muito complicadas de serem tomadas na vida, ou porque envolvem coisas realmente importantes, ou porque envolvem riscos emocionais. Imagino esse ser o caso da decisão tomada pela atriz mundialmente famosa Angelina Jolie, que recentemente anunciou ter retirado as duas mamas.

O que motivou essa decisão foi a atriz ser portadora de um gene defeituoso, que tem o poder de provocar câncer de mama em suas portadoras. Segundo especialistas, os portadores dessa mutação em seu DNA têm 87% de chance de desenvolver a doença que, em muitos casos, leva à morte das pacientes.

Angelina - um

Falando em morte, Angeline perdeu a mãe pelo câncer e, essa semana, foi divulgado que sua tia morreu, também de câncer de mama. Em artigo publicado no The New York Times, a atriz disse ter feito a escolha para que seus filhos tivessem a mãe por muitos anos, coisa que ela não teve.

Sabe, fiquei pensando que, para alguém tomar uma decisão desse tamanho, que envolve saúde e estética, essa pessoa tem que ser extremamente corajosa e segura de si. Sei que Angelina fez sua escolha baseada na saúde, mas é fato que, para uma mulher, os seis são importantíssimos.

Angelina - dois

Eu me levanto para aplaudir essa decisão, de verdade. Ela, que é símbolo de beleza para o mundo todo, mostrou que entende o real significado de “ser bonita”. A beleza está na forma de ser, em como nos tratamos e tratamos as outras pessoas. Pense nisso você também!

Deixe um comentário

Arquivado em Comportamento, Moda

O que tem na sua bolsa?

Aposto um brigadeiro de damasco como na sua bolsa você carrega um pequeno espelho, seu batom favorito, grampos de cabelo, seus documentos, uma caneta, bloquinho para anotar, creme para as mãos, balas de menta e… Mais de um trilhão de bactérias! Sim, uma população inteira desses bichinos minúsculos que podem fazer grande mal à saúde. Segundo pesquisas da Initial Washroom Hygiene, do Reino Unido, as bolsas femininas são mais infectadas que os vasos sanitários, acredita? E não tem como tirar essas moradoras indesejadas de lá, afinal de contas nos mexemos o dia todo portanto sempre adquirimos bactérias novinhas em folha. Mas, não se descabele: elas não podem te fazer mal. O jeito é tomar cuidado e ficar de olho, né?

bolsa-louis-vuitton

 

Deixe um comentário

Arquivado em Diversos

É muito absurdo

É meu povo, o mundinho fashion adora me dar motivo para soltar o verbo, não é mesmo? Aí, como boa geminiana que sou, não consigo ficar calada diante dos absurdos e venho desabafar com vocês, meus queridos. O motivo de minha raiva? Bem, por um acaso vocês conhecem a Abercrombie&Fitch ou a campanha Abercrombie Popular?

Abercrombie&Fitch é uma marca de roupas americanas com pegada jovem e descolada. O foco produzir camisetas divertidas e modernas. Abercrombie Popular é uma campanha que pretende criticar o elitismo e as ditaduras que crescem e se multiplicam no mundo da moda de uma forma impactante, rápida e dramática.

Essas duas coisas se juntam no seguinte ponto: quando a marca de camisetas Abercrombie&Fitch resolve não mais produzir camisas femininas G e GG, porque não quer associar seu nome à mulheres gordinhas. Como se não fosse suficiente, os responsáveis pela grife declaram que seus produtos são usados apenas por indivíduos bonitos, descolados e populares. Vendo tudo isso, uma pessoa resolveu subir no palanque e falar algo.

Como? Montando a campanha Abercrombie Popular, onde é pedido que, caso você tenha uma camisa dessa marca e esteja indignado com a situação, doe seu exemplar ao movimento. Para concretizar o protesto, os organizadores entregam esses exemplares para moradores de rua. Depois, eles são fotografados vestindo as camisas que ganharam. Esse material vai parar nas redes sociais, onde todos podem ver.

Campanha-um

Antes de dar minha opinião, preciso deixar bem claro que estou vendo a situação pela ótica da moda, assunto do qual entendo um pouquinho. Não estou falando de exposição de pessoas que participam dessa campanha ou de qualquer outra coisa que tenha um viés humanitária. Muitos já estão falando desse caso por esse prisma. Também quero dizer que é somente, e apenas, a fala de uma pequena observadora, certo?

Isto posto, digo o que penso: gente, para mim, a campanha é genial! É forte, sim, mas genial. É lindo provar para as marcas que elas não têm o poder de direcionar suas roupas ao público que bem entendem, ainda mais de forma tão cruel e tacanha. Não existe isso de “só gente bonito e descolado vai usar”, tudo mundo usa o que bem entende e fim da história.

Campanha-dois

Além do mais, eu acho, honestamente, que essa campanha é o “monstro criado pela própria moda”. Sejamos honestos; há um lado muito perverso nessa indústria que incentiva as pessoas a serem bonitas, ricas, famosas e magras em tempo integral. Oi, hello?!! Essa não é a realidade de 90% da população mundial Vontade infeliz essa de vender apenas para “pessoas populares”.

Um dia esse caldo ia entornar, é claro. Já está se vendo que é impossível viver nessa sociedade da perfeição e photoshp, Graças a Deus. Por que discriminar as gordinhas? Por que discriminar pessoas com padrões sociais diferentes do seu? Por que dispensar tanta energia com campanhas publicitárias que só conseguem pirar ainda mais com a cabeça das pessoas?

Campanha-tres

Parabéns para você que elaborou a campanha Abercrombie Popular. Sério, você é o cara que conseguiu bagunçar ao menos um pouquinho o castelo de areia onde os poderosos da moda vivem usando óculos cor-de-rosa. E você, da Abercrombie&Fitch, que não curte gordinhos e diferentes, preciso te falar que sua estratégia de marketing é estúpida, já que se volta contra sua marca. E, antes que eu me esqueça, você também é um idiota sem tamanho.

Se você, amiguinho leitor, pensa diferente de mim, por favor conte nos comentários. Eu gosto de saber opiniões divergentes das minhas, já que quando pensamos juntos, pensamos melhor. Só peço que respeite meu ponto de vista, porque a opinião é uma das coisas mais valiosas que temos nessa vida.

Bjim procês todos!

Deixe um comentário

Arquivado em Comportamento, Moda

Inspiração: Poás

É minha gente, cá estou eu para deixar sua semana mais bonita e animada! Ok, ok, talvez eu não seja capaz de fazer tudo isso, mas com certeza você vai começar seus afazeres mais inspirado nessa segunda-feira. Para os curiosos, sim, estou de volta. As mudanças vieram, e eu sobrevive. Agora vou desvendar todo o mistério visto nos últimos dias.

Vocês sabem que sou formada em jornalismo e agora estou à procura de emprego, certo? Pois então, recentemente uma mega oportunidade de trabalho caiu no meu colo assim, sem mais nem menos, graças à dica de uma grande amiga. Mas o trabalho era em São Paulo. Lá não tenho família e, como tenho limitações físicas que, às vezes, podem atrapalhar um pouco minha locomoção, não tive como aceitar.

O negócio é ajeitar o cabelo e seguir em frente, porque uma hora dá certo! E, para mantermos toda essa animação nas alturas, hoje vamos falar de uma coisa fofa: estampa de bolinha ou, como dirão nossas avós, de “poás”. Pesquisei para tentar descobri como surgiu essa estampa, mas não achei nenhuma explicação confiável. O certo é que ela começou a ser usada na década de 1950. Ana Maria e seu “biquíni-de-bolinha-amarelinha-tão-pequenininha” concordam.

Como de costume, separei três looks para deixar vocês com vontade de comprar uma peça estampada assim para chamarem de sua. Eu já fiz isso, admito sem traço algum de culpa. Sexta-feira comprei uma blusa de bolinha que é a coisa mais linda da vida!

Vamos começar: se você é “a louca das bolinas”, tenho certeza de que vai amar essa composição total poá. A calça tem uma modelagem diferenciada. Não sei definir ao certo que tipo de shape é. Se alguém souber, comenta e conta. Aqui as bolinhas são bolões em preto e branco. Já a camisa clássica, transparente, vem em minibolinhas, bem delicadas, para as meninas fofas. Engraçado que, mesmo com tanta bola, não achei que o resultado final desagradou.

poas-um

Essa é para as meninas ousadas. Uma calça de cintura alta com um grande laço fazendo o papel de um cinto. Aqui também as bolas são grandes, eis uma peça marcante. Mas, tudo se suaviza com a blusa preta, que conversa bem com a parte de baixo do look. Foco na meia vermelha. Sim minha gente, uma meia vermelha, que deixa tudo divertido e moderno. A bolsa e o óculos são clássicos, acho legal que acalma o resto. Quem anima?

poa-dois

Agora, uma proposta fina e rica: jogo de estampas. Procurei loucamente uma foto dessa dama que a mostrasse totalmente. Mas, infelizmente, não achei. O que me fez trazê-la aqui é o fato de que, muitas vezes, não queremos sobrepor estampas por medo de parecer uma pintura moderna, do tipo que vemos e não compreendemos nada. Pois bem, isso não acontece nesse look. Tudo se completa, já que as estampas são clássicas e opostas. Me parece que a bolsa, preta, acalma o resto. Confesso que não sou fã de animal print, mas fiquei com vontade de tentar essa fórmula com listras.

poa-tres

Uma dica para quem está morrendo de vontade de usar bolinhas: se o seu objetivo é diminuir ou esconder uma parte do seu corpo, seja o quadril ou os seios, opte por bolinhas pequenas, delicadas, com o fundo da estampa escuro. Mas, se a vontade é destacar a parte onde as bolinhas estão, o negócio é escolher bolas grandes, com o fundo claro, já que dão destaque ao local escolhido para aparecer. Em breve vou sair por aí usando minha blusa de poá e mostro aqui para vocês.

Bjim

Deixe um comentário

Arquivado em Inspiração

Sobre o chá de sumiço que tomei

Olá pessoas que gostam deste bloguito. Como vão vivendo? Sinto que devo algumas explicações a vocês, que acompanham aqui minhas dicas e pensamentos que sim, são todos sobre o nosso tão querido e odiado mundinho fashion. Também estou sentindo muita falta de vocês, porque expor minhas ideias traz um bem enorme para minha cabeça, de verdade.

Mas, mesmo adorando pensar a moda, minha vida anda muito agitada, feito um forró de zabumba e sanfona. De uns dias para cá, acho que as coisas vão mudar muito para mim. Para melhor, claro, mas a mudança será bem radical. E é por conta disso que me falta o tempo necessário para fazer boas postagens; com ideias bacanas, imagens interessantes e conteúdos relevantes.

Espero em breve voltar definitivamente a cuidar desse espaço tão querido. Em breve mesmo, não é promessa de político descompromissado, juro procês. Só me deem um tempo para por a casa em ordem, para que tudo se ajeite. Se vocês tiverem sugestões para conversas futuras, mande tudo para naoesobremoda@gmail.com!

Quando tudo for resolvido, para o bem sim senhor, venho aqui sem demora contar tudo para vocês. Por enquanto, peço, apenas, que rezem e torçam muito por mim, toda energia positiva será bem vinda. A viagem na qual embarco é turbulenta, porém necessária e recompensadora.

E que vitória vem fácil nessa vida?

Bjim procês!

Chá de Sumiço

Deixe um comentário

Arquivado em Diversos

Som de sexta: Vanessa da Mata

Oi sexta-feira, sua linda! E “oi” para você, que vem aqui para ler minhas reflexões profundas e desnecessárias. Como estão hoje, dia de som? Para comemorar toooda essa felicidade, hoje escolhi uma música muito fofinha da Vanessa da Mata, a Fiu Fiu.  Essa música está no CD Bicicletas, bolos e outras alegrias, lançado em 2010. Aumenta o volume e escuta, fia!

Prestaram atenção em como a letra é gostosinha de ouvir? Reflexão muito interessante sobre padrões de beleza, afinal você, com certeza já ouviu em algum momento da sua vida que vivemos a terrível “ditadura da beleza”. Alguns insistem em achar a beleza magérrima a melhor de todos os tempos. Mas, não, não é assim.

A mocinha da canção, por exemplo, tentou ser magra para as amigas, mas só viu que era bonita quando engordou alguns quilinhos e ouviu um atrevido “fiu fiu” diretamente de um canteiro de obras. Claro que devemos nos esforçar para ser saudáveis, com o peso adequado, mas vamos deixar a função de cabide para as modelos, afinal esse e o trabalho delas. Vamos nós ser o melhor que podemos ser, com as armas que temos? Assim teremos menos trabalho.

Vanessa da Mata

Um bjo gigante procês!

Deixe um comentário

Arquivado em Som de sexta